Ação da IURD arrecada 230 toneladas de alimentos para ajuda a Moçambique

Moçambique enfrentou, nas últimas semanas, dois ciclones, Idai e Kenneth, que devastaram regiões do país africano. Para ajudar as vítimas das tragédias climáticas, a Igreja Universal do Reino de Deus promoveu o “SOS Moçambique”, envolvendo todos os membros da Universal na África do Sul, país vizinho, que arrecadaram cerca de 230 toneladas alimentos não perecíveis, água, roupas e calçados.

 

O responsável pela Universal da África do Sul, Bispo Marcelo Pires, explica que as doações estão sendo enviadas para o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) de Moçambique. Oito caminhões foram abastecidos com as doações e aguardam a autorização governamental para entrarem no país. “A Universal é uma importante instituição que integra a sociedade e, como tal, precisa auxiliar qualquer governo em dar assistência aos mais necessitados, principalmente, em situações de calamidade como essa”.

Para o Bispo Marcelo, quando alguém passa por uma situação de desastre, a maior perda da pessoa é da esperança e da vontade de viver. “Nós sabemos que a comida irá acabar, mas a força que as vítimas dos ciclones receberão da Universal, ao perceberem o movimento de solidariedade em torno delas, dará energia e alívio para que elas sigam em frente”.

 
VEJA TAMBÉM
 
Dudu Camargo diz que a Igreja Universal mudou sua vida

Eventos promovidos pela Igreja Universal no final de semana de Páscoa, foram transformados em pontos de entrega para as doações a Moçambique. Por exemplo, no estádio do Ellis Park, em Johanesburgo – maior cidade do país – mais de 40 toneladas de doações foram recebidas em uma cerimônia a céu aberto.

Ciclones catastróficos

Em 14/3, o ciclone Idai tocou o solo de Moçambique. Os ventos ultrapassaram 170 km/h e destruíram casas, causaram alagamentos e deixaram mais de 600 mortos, ultrapassando mil em toda região – Malawi e Zimbábue também foram atingidos.

Já na semana passada, o ciclone Kenneth atingiu a costa norte de Moçambique, com tempestades e rajadas de vento que superaram 210 km/h. A tragédia deixou 38 mortos e afetou mais de 168 mil pessoas. Foi o maior ciclone já registrado na região

Rate this item
(0 votes)

Deixe um comentário em nosso mural

Certifique-se de inserir todas as informações necessárias, indicadas por um asterisco (*). Código HTML não é permitido.

Notícias Recentes

CURTA NOSSA PÁGINA

Imagens Notícias

Cenas fortes!! Três detentos são mortos durante briga de facções em presídio (Veja vídeo)

Manifestação contra cortes na educação reúne milhares, em Goiânia Segundo organizadores do evento cerca de 25 mil pessoas participaram do ato.

Goiânia tem árvores com pelo menos 80 anos e 300 espécies nativas e exóticas

Comissão do Senado aprova que presos paguem por gastos na prisão

Após faltar duas vezes, policial civil acusado de matar a mulher enfrenta júri popular em Goiânia

Ronaldo Caiado já tem "plano B" para recuperação econômica de Goiás

“Negligência da CPP matou meu marido”, diz esposa de detento morto com tuberculose

Moro afirma que não há acordo para assumir cadeira no STF

Pescador encontra cadáver boiando em represa de Goianésia