Manifestação contra cortes na educação reúne milhares, em Goiânia Segundo organizadores do evento cerca de 25 mil pessoas participaram do ato.

O dia foi de manifestações pelo Brasil devido ao anúncio de cortes feito pelo governo Federal na semana passada das Universidades e Institutos Federais. Em Goiânia também houve manifestação, o grupo se reuniu na no início tarde desta quarta-feira (15/5) na Praça Universitária e por volta das 16h seguiu em uma caminhada para a Praça Cívica no Centro da capital.

O movimento reuniu na data de hoje estudantes de diversas instituições de ensino e também profissionais da educação. Entre eles representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Goiás (Sintego).

“Ele mexeu com as pessoas erradas, Ele mexeu com as pessoas erradas”, afirma um manifestante durante o protesto ao fazer críticas ao governo federal. Veja o vídeo: 

 

 

De acordo com os responsáveis pela manifestação em Goiânia, o ato reuniu mais de 25 mil pessoas na tarde de hoje.

Presente na manifestação presidente do Sintego afirmou que corte poderá trazer graves problemas

A presidente do Sintego, Bia de Lima participou do movimento e em um vídeo além de ser contra os cortes do governo Federal, cobrou o pagamento das progressões que não é pago a dois anos e do piso salarial aos professores ao atual governador Ronaldo Caiado. “Se o governo federal cortar o Fundeb nós teremos graves problemas, assim como terá a universidade se cortar os 30%, até corte de água e de luz”, declarou Bia no vídeo.

Veja o vídeo com as declarações de Bia de Lima: 

 

Além das Universidades e Institutos, escolas das redes estaduais e municipais fecharam as portas na data de hoje, em apoio ao movimento. Conforme divulgado pelo sindicato, cerca de 80% da rede estadual de ensino ficou sem aulas na data de hoje, o número de escolas fechadas na rede municipal chega a 70% do total que há em Goiás.

Rate this item
(0 votes)

Deixe um comentário em nosso mural

Certifique-se de inserir todas as informações necessárias, indicadas por um asterisco (*). Código HTML não é permitido.